Marisa Francisco Júlio é actriz, guionista e encenadora do grupo teatral  Amor A Arte, e dirige o mesmo a nove (9) anos, tendo já conquistados mais de doze (12) prémios de teatro. Texto: António Matos Marisa Francisco Júlio começou a fazer teatro na Igreja Católica, com o colectivo Etu Tuabichila (Nós Chegamos), o actual Imbondeiro Teatro, encenado por Mateus Amaro. O grupo parou e Marisa continuou no Kwejia Kwenda, esta, encenado por Mateus Venâncio Ramos, que por ventura tornou-se o seu segundo encenador e que ensinou-a a ser uma líder, atribuindo-a o cargo de Assistente de Encenação, tal como responsabilizou-a a escrever as obras Humanidade sem Deus e Uma Sogra de Morrer, que na altura foi um grande sucesso  na Samba. E infelizmente o grupo parou novamente e Marisa teve que continuar , porque já fervia nas veias a febre teatral. E finalmente surge a ideia de fundar o seu próprio grupo teatral, o Amor A Arte em companhia de Danilson Novais, Diogo Fernando, José Constantino Zua, Sónia Félix, esta, no dia 02 de Agosto. E também o seu irmão Wilson Júlio, que no desenrolar do tempo foram recebendo membros novos, esses que são: Ladislau Coimbra, Tomás Cabassa, Xavier António, Jaime Cazeza, Rosa Cecilia, Silvia Victor. Na altura por falta de espaço, ensaiavamos no Parque Infántil – Zé dú, no Bairro Azul e a velocidade de aderir ao grupo não parava e a mesma prática influenciou a conseguirmos um espaço, aonde recrutamos novos membros talentos, tal como Isabel Bote, Maria de Fátima, Faustino Chivam Miguel (que sempre foi um braço direito), Aldair Francisco, frisou Marisa Francisco Júlio. E graças ao Senhor, tiro chápeu e faço a vênia ao Osvaldo Moreira que nos revelou para o mundo, onde por sua vez realizou o primeiro Festival de Teatro da Samba, junto com a ATS – Associação de Teatrro da Samba, e graças a Deus conquistamos o primeiro lugar no concurso de teatro da Samba com a peça A Bela e o Monstro, tendo como melhor Actriz a Efigêniia Silva, com o personagem da mãe da Bela , foi um dia de festa para nós e os júris foram Cabingano Manuel, Adérito Rodrigues, entre outros. O Amor A Arte já conquistou terceiro lugar no Prêmio Provincial de Teatro, participações no FESTECA, na qual conquistaram o Prémio Revelação do Festival Internacional do Cazenga. 
Melhor Encenação e Melhor Texto no Festival da Maianga, e finalmente surge a oportunidade de entrarem na produtora Xando Produções, não é apenas um grupo, é uma familia, estamos todos de parabéns, mais uma vez não posso me esquecer das suas nobres mãos, o Frederico Cunha que nos cedeu o seu colégio e ao grupo de dança TunaKwiza Dance, até fazíamos estátua humano (risos), frisou Marisa Júlio.
Ao passar do tempo, virou um dos Ofícios do Amor A Arte Eventos  e também tinhamos uma agência de moda, que chamava-se Amor A Arte Model que era dirigida por Luís Catuima e de dança que ainda existe, o Amor A Arte Dance que é comadado pelo Itóx e um grande abraço ao sr Scott Dimba, director do colégio Santo Agostinho. E a nossa primeira telespectadora Tânia Novais e a sua irmã que não largavam e acompanhavam todos os espectáculos do grupo que kuia, Elizabeth Novais muito obrigada pela confiaça, toda força e toda luz chegou a nós graças a ti meu Deus. E agradecer também ao amigo Jobe Basto, que para mim era um Instrutor e sempre corrigiu as minhas ideias, ou seja, obras. Frisou a actriz Marisa Francisco Júlio. "> Marisa Francisco Júlio é actriz, guionista e encenadora do grupo teatral  Amor A Arte, e dirige o mesmo a nove (9) anos, tendo já conquistados mais de doze (12) prémios de teatro. Texto: António Matos Marisa Francisco Júlio começou a fazer teatro na Igreja Católica, com o colectivo Etu Tuabichila (Nós Chegamos), o actual Imbondeiro Teatro, encenado por Mateus Amaro. O grupo parou e Marisa continuou no Kwejia Kwenda, esta, encenado por Mateus Venâncio Ramos, que por ventura tornou-se o seu segundo encenador e que ensinou-a a ser uma líder, atribuindo-a o cargo de Assistente de Encenação, tal como responsabilizou-a a escrever as obras Humanidade sem Deus e Uma Sogra de Morrer, que na altura foi um grande sucesso  na Samba. E infelizmente o grupo parou novamente e Marisa teve que continuar , porque já fervia nas veias a febre teatral. E finalmente surge a ideia de fundar o seu próprio grupo teatral, o Amor A Arte em companhia de Danilson Novais, Diogo Fernando, José Constantino Zua, Sónia Félix, esta, no dia 02 de Agosto. E também o seu irmão Wilson Júlio, que no desenrolar do tempo foram recebendo membros novos, esses que são: Ladislau Coimbra, Tomás Cabassa, Xavier António, Jaime Cazeza, Rosa Cecilia, Silvia Victor. Na altura por falta de espaço, ensaiavamos no Parque Infántil – Zé dú, no Bairro Azul e a velocidade de aderir ao grupo não parava e a mesma prática influenciou a conseguirmos um espaço, aonde recrutamos novos membros talentos, tal como Isabel Bote, Maria de Fátima, Faustino Chivam Miguel (que sempre foi um braço direito), Aldair Francisco, frisou Marisa Francisco Júlio. E graças ao Senhor, tiro chápeu e faço a vênia ao Osvaldo Moreira que nos revelou para o mundo, onde por sua vez realizou o primeiro Festival de Teatro da Samba, junto com a ATS – Associação de Teatrro da Samba, e graças a Deus conquistamos o primeiro lugar no concurso de teatro da Samba com a peça A Bela e o Monstro, tendo como melhor Actriz a Efigêniia Silva, com o personagem da mãe da Bela , foi um dia de festa para nós e os júris foram Cabingano Manuel, Adérito Rodrigues, entre outros. O Amor A Arte já conquistou terceiro lugar no Prêmio Provincial de Teatro, participações no FESTECA, na qual conquistaram o Prémio Revelação do Festival Internacional do Cazenga. 
Melhor Encenação e Melhor Texto no Festival da Maianga, e finalmente surge a oportunidade de entrarem na produtora Xando Produções, não é apenas um grupo, é uma familia, estamos todos de parabéns, mais uma vez não posso me esquecer das suas nobres mãos, o Frederico Cunha que nos cedeu o seu colégio e ao grupo de dança TunaKwiza Dance, até fazíamos estátua humano (risos), frisou Marisa Júlio.
Ao passar do tempo, virou um dos Ofícios do Amor A Arte Eventos  e também tinhamos uma agência de moda, que chamava-se Amor A Arte Model que era dirigida por Luís Catuima e de dança que ainda existe, o Amor A Arte Dance que é comadado pelo Itóx e um grande abraço ao sr Scott Dimba, director do colégio Santo Agostinho. E a nossa primeira telespectadora Tânia Novais e a sua irmã que não largavam e acompanhavam todos os espectáculos do grupo que kuia, Elizabeth Novais muito obrigada pela confiaça, toda força e toda luz chegou a nós graças a ti meu Deus. E agradecer também ao amigo Jobe Basto, que para mim era um Instrutor e sempre corrigiu as minhas ideias, ou seja, obras. Frisou a actriz Marisa Francisco Júlio. " /> Marisa Francisco Júlio: A primeira mulher a vencer o Prêmio Nacional de... - Atracções

Comentários

Adicionar comentário